Créditos Institucionais:

MARINHA DO BRASIL
Força de Fuzileiros da Esquadra
Comando da Tropa de Reforço

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO-UERJ

Reitor:
Ricardo Vieiralvesde Castro

Vice-Reitor:
Paulo Roberto Volpato Dias

Sub-Reitores:
Lená Medeiros de Menezes

Sub-Reitora de Graduação – SR1
Mônica da Costa Pereira LavalleHeilbron

Sub-Reitora de Pós-graduação e Pesquisa – SR2
Regina Lúcia Monteiro Henriques

Sub-Reitora de Extensão e Cultura – SR3
Centro de Educação e Humanidades:
Glauberde Almeida Lemos – Diretor

Faculdade de Formação de Professores:
Manoel Martins de Santana Filho – Diretor
Rogério Carlos Novais – Vice-Diretor

Departamento de Ciências Humanas:
Helenice Aparecida Bastos Rocha – Chefe
Sydenham Lourenço Neto – Sub-Chefe

Grupo de Pesquisa História de São Gonçalo: Memória e Identidade
Luís Reznik – Coordenador
Rui Aniceto Nascimento Fernandes
Márcia de Almeida Gonçalves

Créditos da Exposição:
Curadoria, pesquisa e texto:
Henrique Mendonça da Silva
Luís Reznik
Rui Aniceto Nascimento Fernandes

Auxiliar de pesquisa:
Juliana Elianay Olímpio de Abreu Pires
Suzana Alves

Revisão de texto:
Jorge Nunes

Programação visual:
Marina Hochman

Consultoria:
Lená Medeiros de Menezes
Márcia de Almeida Gonçalves
Roberto Conduru


 

Grupo de Pesquisa História de São Gonçalo: Memória e Identidade/UERJ

Criado em 1996 o Grupo História de São Gonçalo: memória e identidade é constituído por professores, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação da Faculdade de Formação de professores da UERJ. O desenvolvimento de atividades de pesquisa, ensino e extensão tem como foco as experiências dos que viveram, e vivem, nesta municipalidade, buscando compreendê-las nas relações com os processos históricos regionais, nacionais e globais. O Grupo realiza projetos de investigação histórica associando-os a aplicabilidades pedagógicas para a sociedade, especialmente para a formação de professores-pesquisadores e para o uso cotidiano do ensino fundamental.

Tropa de Reforço dos Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil

Histórico dos Fuzileiros Navais.

O Corpo de Fuzileiros Navais surgiu a partir da Brigada Real da Marinha, no ano de 1797, por Alvará de D. Maria I. Seu objetivo era de resguardar a família real das ameaças do exército francês, na trajeto até o Brasil. Mesmo com o retorno de D. João VI, um batalhão da Brigada Real da Marinha permanece no Rio de Janeiro. Até o ano de 1932, o Corpo de Fuzileiros Navais recebeu variadas denominações: Batalhão de Artilharia da Marinha do Rio de Janeiro, Corpo de Artilharia da Marinha, Batalhão Naval, Corpo de Infantaria da Marinha e Regimento Naval.

Uma de suas principais tarefas é a operação terrestre, seu objetivo é efetuar o controle do litoral que seja do interesse naval. Essas operações são comumente conhecidas como Operações Anfíbias, consideradas por muitos como a operação mais completa dentre todas as militares.


Tropa de Reforço do Corpo de Fuzileiros Navais

Na Ilha das Flores, no município de São Gonçalo, está localizada a Tropa de Reforço, da Marinha. Seu objetivo é garantir o abastecimento de elementos de apoio ao combate e de serviços necessários às operações desenvolvidas pelos fuzileiros. Hierarquicamente, esta tropa está subordinada à FFE ( Força Fuzileiros de Esquadra), cuja força atua na realização de operações terrestres de caráter naval.

Fonte: http://www.mar.mil.br/cgcfn/missao.htm